Compartilhando nossas pesquisas

Estamos comprometidos com a divulgação dos resultados dos
estudos clínicos de nossos medicamentos e vacinas

A GSK e o programa Trust in Science

Lançado em 2011, o programa Trust in Science é uma iniciativa que apoia e financia pesquisas em regiões em desenvolvimento do mundo. O principal objetivo do Trust in Science é estabelecer forte colaboração com pesquisadores locais a fim de que conhecimentos, tecnologias, habilidades, formações e informações possam ser compartilhadas de forma científica e bilateral.

Desde que foi lançado, o programa tem sido um catalisador de ideias diretamente relacionadas a doenças prioritárias, incluindo aquelas que têm um grande impacto para a saúde pública. Apenas no Brasil, colaboramos com 13 projetos e um centro de excelência, estimando investir mais de R$ 40 milhões entre 2011 e 2017.

Possuímos, por exemplo, acordos colaborativos para fomento de pesquisa básica com a FAPESP - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - em diversas áreas do conhecimento médico, além de atuarmos em um Centro de Pesquisa Básica no Brasil para a descoberta de pathways (caminhos possíveis) para o desenvolvimento de doenças. Com este conhecimento, será mais fácil identificar e desenvolver novos medicamentos. Em Novembro de 2015 anunciamos mais detalhes deste Centro, e ainda a criação de um outro, em Química Sustentável. Para ler o release do anúncio, acesse nossa Sala de Imprensa.

Somos parceiros do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A parceria prevê a concessão de bolsas de estudo destinadas à formação de pesquisadores em nossos centros de pesquisa com o objetivo , dentre outros, de desenvolver novos medicamentos para o controle de doenças consideradas prioritárias pelo governo brasileiro.

Temos ainda um acordo com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) que estabelece um aporte compartilhado de recursos para apoio a pesquisas básicas em diversos temas, como doenças tropicais e outras doenças negligenciadas.

Para ler mais sobre o Trust in Science, clique aqui.