Skip to Content Skip to Search

Meio Ambiente

Reduzir impactos ambientais é fundamental alcançar nosso prósito de vencer as doenças e impactar positivamente a saúde global. Acreditamos que, junto com nossos parceiros, podemos ajudar a restaurar a saúde do planeta, a fim de proteger e melhorar também a saúde das pessoas.

Em novembro de 2020, anunciamos novas metas ambiciosas de sustentabilidade ambiental. Até 2030, pretendemos ter impacto zero no clima e impacto positivo na natureza.

Ao longo da próxima década, vamos investir em medidas para reduzir o dano ambiental e em projetos de restauração para equilibrar o impacto residual que produzimos. A ideia é devolver à natureza mais do que tirarmos.

Para atingir estes objetivos, estabelecemos uma série de metas em nossas operações, cadeias de suprimento e portfólio. Pretendemos alcançar a maior parte dessas metas até 2030, mas nos comprometemos com uma data anterior onde nos for possível acelerar os cronogramas.

Nossas novas metas de sustentabilidade ambiental:

Ação climática

Zero Impacto efetivo no clima até 2030

Farmacêutica

  • Emissão zero em todas as operações até 2030.(escopo 1 e 2)
  • Eletricidade 100% renovável até 2025.(escopo 2)
  • Emissões zero em toda a cadeia de valor até 2030.(escopo 3)

Ação da natureza

Impacto positivo na natureza até 2030

Farmacêutica

  • Alcance de boa gestão da água em 100% dos locais até 2025 e redução do uso total de água em 20% até 2030.
  • Consumo neutro de água em operações e nos principais fornecedores em regiões com escassez de água até 2030.
  • Zero Impacto efetivo em níveis de ingredientes farmacêuticos² para todos os locais e fornecedores-chave até 2030.
  • Lixo operacional zero, incluindo a eliminação de plásticos não reutilizáveis3 até 2030.
  • Redução em 25% do impacto ambiental de nossos produtos e embalagens até 2030.
  • Redução em 10% do lixo gerado pela cadeia de fornecimento até 2030.
  • Impacto positivo na biodiversidade em todos os locais4 até 2030.
  • 100% dos materiais de fontes sustentáveis e livres de desmatamento até 2030.

A GSK já é reconhecida globalmente por ser uma das primeiras companhias do setor farmacêutico a definir metas ambiciosas de mitigação de impactos ambientais. Em uma década, a multinacional alcançou reduções de 34% nas emissões de gases do efeito estufa, de 78% no despejo de resíduos em aterros sanitários e de 31% no consumo de água. Este ano, a empresa alcançou o 1º lugar, na categoria indústria farmacêutica, no Índice Dow Jones de Sustentabilidade (DJSI), referência global de liderança empresarial em Environmental, Social e Governance (ESG).

Nossas metas ambientais no Brasil

Aperfeiçoar a sustentabilidade ambiental do nosso negócio não só nos torna mais responsáveis, mas reafirma o compromisso da GSK de entregar produtos cada vez mais sustentáveis, colaborando para a proteção do planeta.

Flores brancas
Somos uma empresa cada vez mais preocupada com a biodiversidade

Gestão ambiental

Como uma empresa global de saúde, reconhecemos que possuímos grandes responsabilidades em muitas áreas, especialmente junto a pessoas, comunidades e Meio Ambiente.

O Brasil segue a principal meta global de gestão ambiental: nos tornarmos uma companhia Carbono Zero até 2030. Nosso Sistema de Gestão de Meio Ambiente, Saúde e Segurança do Trabalho segue os requerimentos legais do país e os padrões globais da GSK, baseados nas diretrizes da Política Global de Meio Ambiente, Saúde, Segurança e Sustentabilidade. Temos metas de redução de consumo de água, energia, disposição de resíduos e emissões de Gases do Efeito Estufa (GEE).

Desde 2018, estamos investindo na expansão e automação da nossa fábrica, otimizando recursos e diminuindo os impactos ambientais. Trabalhamos para que nossa produção e operação sejam as mais sustentáveis possível. 

Todos os nossos colaboradores, terceiros e fornecedores estão engajados nesse compromisso de tornar a GSK uma empresa cada vez mais responsável ambientalmente.

crianças segurando um cesto de reciclagem de garrafas pet
Em 2019, zeramos o envio de resíduos para aterros sanitários

Resíduos

Os principais impactos ambientais causados pela GSK no Brasil são decorrentes do uso de matérias-primas (solventes inflamáveis, produtos químicos corrosivos e oxidantes), geração de resíduos de perdas do processo produtivo e de matérias-primas, bem como da geração de efluentes industriais.

Para mitigar esses impactos e aumentar a eficiência de nossos processos, desenvolvemos o Programa de Gerenciamento de Resíduos e de Melhoria Contínua. Uma importante meta alcançada foi zerarmos o envio de resíduos para aterros sanitários, em 2019. No ano seguinte, alcançamos um índice de beneficiamento de 95% dos nossos resíduos produtivos, destinando-os para compostagem, reciclagem e coprocessamento, ultrapassando a meta global de 90% de resíduos beneficiados.

Algumas iniciativas contribuíram para o alcance dessa meta: instalação de uma compactadora para acondicionar os resíduos não recicláveis; reciclagem de embalagens e bisnagas de plástico das áreas produtivas; e realização constante da coleta seletiva. Seguimos comprometidos com a manutenção desses resultados nos próximos anos, contribuindo cada vez mais para a conservação do Meio Ambiente.

Mãos segurando uma muda
Preservar a biodiversidade é uma das prioridades em Responsabilidade Ambiental

Biodiversidade

Muitos dos desafios globais de saúde que enfrentamos estão associados ao declínio da biodiversidade e a degradação dos ecossistemas, com sinérgica relação entre as mudanças climáticas e seus impactos na saúde das pessoas.

Sendo assim, preservar a biodiversidade é uma das prioridades que temos em relação à Responsabilidade Ambiental. Contribuímos para o reflorestamento de uma área de mais de 70 mil m2, o equivalente a dez campos de futebol.

O replantio, aconteceu em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio, nas proximidades da nossa sede e fábrica. A ação foi parte da compensação ambiental para mitigar o impacto da construção do nosso complexo na região.

Estamos empenhados em desenvolver as melhores práticas para proteger os recursos naturais e avançar no cumprimento das nossas metas ambientais. Melhorar a sustentabilidade do nosso negócio não só nos torna mais resilientes, como nos alinha ao compromisso de entregar produtos sustentáveis.

Foto da usina fotovoltaica, instalada na fábrica da GSK, no Rio de Janeiro
Usina fotovoltaica, instalada na fábrica da GSK, no Rio de Janeiro

Energia

Buscar a eficiência energética é também um diferencial competitivo. Até 2025, nossa meta no Brasil é ter 100% de energia elétrica de fonte renovável.

Para isso, estamos reduzindo o consumo de energia e de emissão de Gases de Efeito Estufa (GEE) com diversos projetos de ecoeficiência. Um deles é a instalação de uma usina fotovoltaica, que funciona na sede da GSK, na cidade do Rio de Janeiro. O Brasil é o primeiro país da América Latina a implementar o projeto que usa como recurso a energia solar no processo produtivo do site e faz parte de uma série de práticas de ESG, já adotadas globalmente pela companhia.

São 760 painéis de captação de energia solar, totalizando 450 MWH/ano de potência, numa área de 2.350 m². A energia gerada será utilizada em processos de produção na fábrica da GSK Brasil, que produz produtos de saúde e medicamentos, destinados ao mercado nacional e latino-americano. Com a usina, a estimativa é reduzir 54 toneladas de emissão de CO2 ao ano.

Outras iniciativas em andamento são: a conversão do sistema de iluminação para LED, a automação da nossa Central de Água Gelada (CAG) e a utilização de motores mais econômicos em nossos processos produtivos. Estamos atuando também no mercado livre de energia e primamos por contratações de geração renovável.

Destacamos ainda a realização de campanhas de conscientização direcionadas a todos os nossos colaboradores para a redução do uso de energia elétrica nos ambientes de trabalho.

Folha em uma poça d'água
Até 2030, pretendemos reduzir em 20% o uso de água nova nas operações no Brasil

Água

Entre nossas metas para diminuir o consumo de recursos naturais até 2030 estava a redução de 20% do consumo de água nova nas operações no Brasil, objetivo já alcançado.

Nossa Estação de Tratamento e Reuso de Água entrou em operação em junho de 2019 e possibilita a redução do consumo de água nova superior a 20%.

A água de reuso abastece as torres de resfriamento, além de ser aproveitada em outros serviços na GSK. O acompanhamento periódico dos hidrômetros também é uma medida importante que adotamos para observar consumos excessivos e identificar possíveis desperdícios. Contamos ainda com uma Estação de Tratamento de Efluentes (ETE), que mantém nossos resíduos dentro de todos os parâmetros legais aplicáveis.

Referência:

1Explicação dos escopos de emissões:

  • Escopo 1 – emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE), como queima de combustível ou emissões de fábricas, por exemplo.
  • Escopo 2 – emissões indiretas de GEE de eletricidade comprada, calor ou vapor.
  • Escopo 3 – outras emissões indiretas, como as da cadeia de fornecimento ou atividades terceirizadas, por exemplo.

2Abaixo do nível previsto de não-efeito.

3Onde obrigações reguladoras permitirem e excluindo plásticos que sejam críticos para a pesquisa e desenvolvimento de produtos em saúde e segurança.

4Locais de propriedade da GSK.

5Onde a qualidade e a segurança permitirem e sujeito ao cumprimento dos regulamentos.